O momento KETUBÁ na cerimônia do casamento Judaico

•2012/04/06 • Deixe um comentário
Fotografia do momento Ketubá, no casamento de Juliana e Beny

O momento do Ketubá na cerimônia judaica.

O Ketubá, embora não muito exposto e divulgado, é um dos momentos mas simbólicos no casamento Judaico. Presente o rabino,  os padrinhos, os pais dos noivos e o noivo, estes assinam um documento formal em que o noivo se comprometendo com a noiva e a formação de uma nova família. É solene e carregado de tradições. Um cena maravilhosa de ser capturada.

Neste foto, sem muito preparativos, pois ela ocorria um tanto quando fora do centro das atenções dos convidados, consegui capturar o que chamo um momento Ketubá.

Da mesma forma com me referi em post anterior sobre a simbologia das cores na fotografia, aqui as cores escolhidas buscam enfatizar a formalidade e a tradição desta etapa de cerimônia. O tom café-escuro, é sóbrio com exige o momento. Remota as cenas normalmente capturadas numa das capitais de maior número de judeus do mundo. É uma cena que imagino ocorrendo igual ao que ocorreria em New York, e suas muitas sinagogas.

A conjunção plastica das expressões, dos que estão sentados à mesa e o convidado que está por trás da mesa, confere um ar irrepetível para este momento. Um momento,que se posado, perderia todo seu impacto e estética do natural.

Realmente gostaria de ouvir comentários e perguntas sobre esta foto.

John Kirchhofer

 

A simbologia das cores na fotografia.

•2012/04/05 • Deixe um comentário

A simbologia das cores na fotografia.

Fotografar casamentos, normalmente à noite, algumas poucas vezes de dia, é sempre um limitador para o uso criativo das cores.

As cores, em qualquer lugar, mas especificamente na fotografia, transmite sensações, que por sua vez evocam emoções.

O fogo na fotografia. É quase que um cliché cinematográfico, usar de uma cena proxima de uma lareira para “esquentar” uma cena sensual e ou de amor. Fosse para expressar um envolvimento singelo, uma simples troca de olhares configurariam a mensagem. Para agregar tintas de uma paixão, o fogo é o grande pano de fundo. Não é a toa que até músicas já foram feitas com o tema “O fogo de uma paixão”.

O fotógrafo que não se limitar apenas as fotos ao estilo de fotojornalismo, deve buscar criar expressões visuais para representar o que ele pretende registrar para contar sua história. Para mostrar como “ele viu” o que acontecia naqueles momentos, ou em outras palavras, fazer um registro com arte.

Foi com esta intensão que resolvemos criar uma foto bem diferenciada para um de nossos casais. Nesta foto, tomamos as alianças para simbolizar o amor que uniu o casal. Pano de fundo de chamas, serviu para deixar a mensagem. Claro que a cada olhar para esta foto, uma emoção diferente se manifesta. Isto é normal. Mas uma coisa é certa, esta é uma imagem que não passa como uma imagem comum.

É em imagens como esta que  transformamos o ordinário em extraordinário. Da imagem simples, para a imagem inesquecível.

Estilista Stella Fischer antecipa 99% do vestido da Kate

•2011/04/29 • 2 Comentários
Vestido noivas como princesas

Stella Fischer - Vestindo noivas como princesas.

Stella Fischer, estilista, veste noivas a mais de 30 anos. Seu estilo sempre se pautou pelo estilo clássico contemporâneo. Ou seja, adaptado aos nossos dias e ao nosso clima. Nas fotos acima, Stella veste a noiva Adriana. Nas fotos é notório o estilo clássico do vestido. A noiva usa uma tiara muito similar a usada pela Kate Middleton. A renda bem ao estilo ao usado pela Kate, agora Duquesa de Cambridge. O vestido tinha uma manga 3/4. O da Kate também possuía mangas, só que até o punho.

Entrada gloriosa de uma noiva ao estilo princesa

Entrada gloriosa da noiva Adriana, na Igreja S. Francisco de Paula.

Ao final Adriana entrou gloriosa na Igreja de São Francisco de Paula , no centro do Rio de Janeiro, uma das mais lindas igrejas da antiga capital da república.

Como uma princesa moderna, Adriana ouviu o simbólico: Eu os declaro marido e mulher.

Como uma princesa moderna, Adriana casou-se com seu príncipe.

Nossa fotografia, como não poderia deixar de ser, buscou captar os momentos das emoções que marcam um casamento como este. Entendemos que assim deva ser uma fotografia profissional de casamento. Não que isto impeça um olhar mais criativo. Aqui, com uma foto bem clássica à direita, incluimos um olhar mais “informal” à esquerda, destacando uma inclinação para estabelecer uma dinâmica a foto, estabelecendo o foco principal na noiva, a “protagonista” de todas as cerimônias de casamento.

Por fim, o beijo clássico que marca o ápice de um “conto de fadas”. Este não é um “roteiro” obrigatório, mas este foi um casamento dentro dos padrões do que podemos chamar de um casamento clássico.

O beijo que marca o ponto alto de um conto de fadas.

O esperado beijo - tal qual se espera num conto de fadas.

Fotografar casamentos é fotografar emoções.

•2011/04/25 • Deixe um comentário
Despedida de pai e filha

A dança de despedida do pai e filha

Nem tudo é noivo e noiva. Num casamento, um dos momentos mais emocionantes, e eu sei disso, é quando o pai dança com a filha que acaba de se casar para seguir sua própria vida. Num misto de tensão, tristeza e alegria, as emoções intensificam os olhares.

Veja a foto anterior em um corte drástico para captar a intensidade do olhar do pai.

O olhar do pai

O olhar intenso do pai.

Aos quinze anos, o pai dança com a filha, depois ela dança com avós, tios, irmãos, e finalmente pode dançar com o namorado. No casamento, o pai já é o segundo a dançar com a filha. Ali ele vive uma dualidade de emoções. A alegria de ver que a filha começa uma nova família, contrasta com a tristeza de sentir que a filha deixa a casa da família dos pais, possívelmente para sempre.

Em poucos segundos, muitas emoções a serem fotografadas.

A alegria do pai da noiva

A alegria do pai da noiva na dança de despedida.

Por fim, no vai e vem das emoções, um momento de ternura. A noiva percebe que aquela pode ser a última dança com seu pai. Dai para frente, o esposo vai estar sempre em primeiro plano para ela.

Momento de ternura

Momento de ternura

Assim, com três fotos, é possível discorrer sobre uma vasta gama de emoções que se desenrolam durante um casamento. Fotografar estes momentos é um previlégio gratificante para o fotografo de casamentos.

por John Kirchhofer

Trabalhando luz e cor na fotografia de casamento

•2011/04/23 • Deixe um comentário
Foto do casal Beatriz e Leonardo

O amor está na luz!

Fotografar casamentos é um desafio constante em nossos dias. Há alguns anos atrás, não faz muito tempo, a grande variante nas fotografias eram o preto e branco e o sépia. Me lembro que até 2008, muito dos principais fotógrafos de casamento ainda fotografam em filme. Isto limitava muito as variações fotográficas. Quem fugia do Kodachrome? Quando muito usava um Agfa PB. Puxava o filme para uma ASA (hoje ISO) 800!

Na impressão então, os laboratórios já tinham a receita de cada fotógrafo. Pronto, eram impressas as 600, 700, 800 fotos e entregues aos clientes para a escolha do álbum. Os álbuns começavam as ser diagramados em Photoshop, após as fotos serem escaneadas. Lindos trabalhos, reproduzido aos milhares de forma muito similar aos outros demais casamentos. Nestes álbuns se olhava mais o vestido da noiva, a decoração da recepção e eventualmente um ou outro “flagrante” captado por acaso. As fotos principais eram a noiva, o noivo, a noiva e os pais, o noivo e os pais, por fim os noivos e a família.

Nos dias de hoje, as ferramentas e equipamentos digitais fornecem uma “paleta” enorme de cores e tonalidades, e uma gama muito variada de “pincéis”. Hoje, mais do que nunca, fotografar é pintar com a luz.

Ao gosto de cada um, ou simplesmente explorando as infinitas variações que a tecnologia põe em nossas mãos, a fotografia de casamento vai ficando cada dia mais artística na mais ampla expressão da palavra. Não que a fotografia em PB não fosse artística. Mas era com colocar nas mãos do artísta uma folha de “canson” e alguns “crayons”.

Com o desafio de criar fotos “profissionais” diferenciadas das milhares de fotos que convidados, padrinhos e amigos fazem com suas pequenas e maravilhosas câmeras digitais, o fotografo profissional de casamentos não pode mais se contentar em ser um fotógrafo “social”. Dele é cobrado cada vez mais a criação de imagens que se diferencie das imagens dos amadores.

A foto deste post é mais uma da coleção de ensaios e experimentos que realizamos a cada casamento que fotografamos. Experimentar. Este é o nosso desafio.

Noiva no projeto Rio 365 fotos

•2011/03/28 • Deixe um comentário
Oração no Arpoador - Projeto Noivas invadem o Rio de Janeiro

Noiva ao Pôr do Sol no Arpoador

Inspirado pela foto do post anterior, feita em 2005, em 2009, fotografando um editorial de moda para a Revista Inesquecível Casamento RJ, do meu queridíssimo amigo Fabiano Niederauer, criamos esta imagem. Aqui é notório o ganho cromático de uma fotografia feita ao pôr do sol, na chamada de “golden hour”, pelo tom dourado para impõe na foto. Assim, esta é uma foto mista. É um foto de noiva/casamento e ao mesmo tempo uma foto de paisagem, que pode compor a coleção Rio 365 Fotos.

A noiva aqui, medita, ora, reflete, se acalma, enfim, posa com estilo de princesa pairando sobre súditos surfistas. Ou como pretendia o editorial, insere sua imagem num dos mais lindos cartões postais da Cidade Maravilhosa.

Atenção noivas e noivas do Brasil e exterior, lembrem-se, estando aqui no Rio de Janeiro, pensem em fotografar nos cenários mais lindo do Brasil. Liguem para nós para marcar sua data.

Recentemente já atendemos a dois casais, um vindo da Alemanha e outro da Itália, buscando fotografar aqui no Rio. Bem, após o aval do Barack Obama, o Rio, e todo o Brasil, será cada dia mais o destino de muitos casais em Lua de Mel.

por John Kirchhofer

Rio 365 Fotos – Pescando no Joá

•2011/03/28 • Deixe um comentário

 

Pescando entre pedras e mar revolto

Pescaria entre pedras do canal do Joá e mar revolto

O que dizer de um local com tantas nuances e cenários como somente o Rio de Janeiro possui? Simplesmente, Cidade Maravilhosa.

Você não precisa ir muito longe. Num raio de 30 km, você vislumbra cenas absolutamente inusitadas e diferenciadas. É só caminhar, ou rodar pelo Rio.

Em continuação ao meu projeto de reunir 365 fotos do Rio de Janeiro, comecei a vasculhar meus arquivos para ir selecionando algumas fotos. A foto que ora publico, foi feita em maio de 2005, no início de minha fase digital na fotografia, no encontro do canal do Joá com o mar.

Na minha fase atual, fotografando casamento, já imagino um casal, noiva e noivo no lugar do pescador. Pronto, cena perfeita! Pena no Brasil a maioria dos casamentos acontecem noite, em ambientes fechados. Comparando com as fotos que vemos do fotógrafos estrangeiros de casamento, ficamos um pouco frustados. Por lá eles desfrutam da luz maravilhosa do hemisfério norte, e ainda fotografam ao cair da tarde, mais precisamente no que chamamos de “golden hour”.

Isto me leve a buscar para publicar aqui a foto feita para o editorial de moda da Revista Inesquecível Casamento, em 2009. Aguardem novo post.